Como Viver de Dividendos de Ações – Blog Quero Ficar Milionário

Como Viver de Dividendos de Ações – Blog Quero Ficar Milionário

As empresas que pagam dividendos em dinheiro fazem-no geralmente de forma semestral, apesar de, por vezes, optarem por pagamentos especiais únicos.

O retorno gerado com dividendos pode ser expresso pelo dividend yield de uma ação, ou seja, o dividendo pago dividido pelo preço da ação.

No Brasil, o dividend yield médio das empresas mais negociadas (aquelas que compõem a carteira do BMF&Bovespa) tem aumentado nos últimos anos.

Além dos dividendos, as empresas também pagam juros sobre capital próprio, que é uma outra forma de distribuir lucro aos acionistas das empresas. A diferença é que esse pagamento é tratado como despesa no resultado da empresa, enquanto o dividendo não.

Como investir em ações na Bolsa de Valores?

No Brasil, a compra e venda de ações acontece na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa).

Essas negociações são feitas por meio das corretoras habilitas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A lista das corretoras credenciadas pode ser encontrada nos sites da CVM e da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), no item Corretoras.

Para começar a comprar e vender ações, é necessário fazer um cadastro na corretora (basicamente nome, profissão, endereço e enviar cópias de RG, CPF e comprovante de residência).

Assim, a corretora abre uma conta desse investidor na Bovespa. Cada instituição determina qual a quantia mínima para a abertura da conta.Resultado de imagem para bm&fbovespa

Existem 3 formas de se comprar ações:

1) Fundos de Investimento: um fundo funciona como um condomínio. Cada um dos seus investidores possui uma cota, que corresponde a uma porção do total de ações que o fundo tem.
Cada fundo tem seu próprio estatuto, que informa suas regras e o grau de risco de seus investimentos.
Todo fundo precisa ter um gestor certificado pela CVM, que coordena as compras e vendas de ações.
Assim, quando uma pessoa adere a um fundo, deve estar de acordo com sua política de investimento, especificada em seu estatuto.
2) Clubes de Investimento: os clubes têm um caráter menos formal que um fundo.
Um grupo de amigos ou familiares pode formar um clube, que pode ser aberto com no mínimo três pessoas e chegar até um limite de 150.
Diferentemente dos fundos, não precisam de um gestor certificado pela CVM, mas um representante que dê à corretora a ordem de compra ou venda de ações.
Nesse caso, há maior liberdade por parte das pessoas que compõem o clube sobre quanto e onde será investido.
3) Individualmente: nessa situação, a pessoa controla as ordens de compra e venda de suas ações.
Para escolher quais ações comprar, pode contar com os consultores da corretora, que irão tirar dúvidas e ajudar a identificar quais são os bons investimentos para aquele momento.
investidor pode acompanhar sua conta, ter acesso aos custos de operação e comprar e vender ações pela Internet (com exceção dos fundos, onde quem compra e vende é o gestor).
O nome desse serviço é Home Broker e pode ser acessado pelo site de uma corretora que oferece este sistema. A lista dessas corretoras pode ser encontrada no site da Bovespa.
As ordens de compra e venda também podem ser dadas pelo investidor por telefone. Ou seja, o investidor liga para sua corretora e informa o que deseja fazer.
Sempre que se compram ou vendem ações, há um período de três dias úteis para que o dinheiro saia ou entre na conta que o investidor possui.
No caso dos fundos ou clubes de investimento, cada um tem um regulamento próprio que indica em quanto tempo o dinheiro poderá ser retirado após uma ordem ser efetuada.

Como ganhar dinheiro com ações

Um ponto que deve ser observado é que para investir em ações é necessário pensar no longo prazo, a aplicação deve ser feita em, no mínimo, dois ou três anos.

Taxas envolvidas no investimento em ações

Taxa de operação – cobrada cada vez que é emitida uma ordem de compra ou venda;

Taxa de custódia – cobrada mensalmente pela guarda das ações (a corretora pode escolher não cobra-lá nos meses em que o investidor comprou ou vendeu ações);

Taxa de corretagem – paga quando a ordem de compra e venda é feita por telefone. É calculada em relação ao valor da operação;

Taxa de emolumentos – paga à Bovespa e calculada em relação ao valor que envolve a compra ou venda de ações;

Taxa de administração – cobrada nos fundos e clubes, é calculada anualmente em relação ao valor aplicado no fundo e cobrada proporcionalmente ao período em que o investidor manteve operações. Se o investidor retirar o dinheiro em seis meses, pagará uma taxa proporcional ao período;

Taxa de performance – cobrada quando o fundo supera a rentabilidade esperada.

 O que levar em conta no momento do investimento?

Deve-se levar em conta três pontos: liquidez da ação; retorno e risco.

Liquidez da ação escolhida: a facilidade de vender os papéis no momento do resgate do investimento;  
Retorno: que são as possibilidades de ganho ou retorno financeiro;

Risco: as possíveis perdas a que qualquer investidor está sujeito.

A combinação desses três elementos determina a ação a ser comprada ou vendida.

Imagem e vídeo pela hospedagem TinyPic