Como Poupar Dinheiro

1- Corte os gastos desnecessários

Não é por causa das grandes despesas que seu salário some misteriosamente, mas por conta de gastos impulsivos ou desnecessários, como pequenas compras ocasionais que, juntas, somam valores que poderiam estar bem investidos. Um exemplo de gasto desnecessário são as irresistíveis bijuterias e cosméticos vendidos em revistas. Sempre tem uma amiga que vende maquiagem e outros adereços que são dispensáveis.

No universo masculino, esses gastos podem ser representados pela entrada no estádio para ver o time do coração. Ou até pela cervejinha depois do expediente. Um happy hour é super saudável, mas ele pode ficar apenas para a sexta-feira à noite.

2- Utilize um aplicativo de controle financeiro

Onde estiver, quando pensar em gastar, consulte o aplicativo e veja se suas despesas estão de acordo com seu planejamento, para decidir se deve ou não realizar mais um gasto.

Nesse caso, uma boa dica é o Mobills, que, além de poder ser consultado a qualquer hora e lugar, é bastante simples, eficiente e ainda permite que você troque dicas sobre finanças pessoais com outros usuários.

3- Registre seus gastos corretamente

A tarefa de conseguir juntar dinheiro só será possível quando você for realmente capaz de controlar todos os seus gastos. Por isso, é importante manter o hábito de registrar absolutamente tudo o que se gasta.

Com um aplicativo, planilha, ou até mesmo um caderninho e uma calculadora em mãos, comece a listar todas as suas despesas, começando das mais básicas — como alimentação, contas a pagar, saúde e higiene — até os gastos mais supérfluos — como saídas, mensalidades, compras, etc. Assim, será mais fácil perceber como você gasta seu dinheiro e onde você pode economizar para poupar mais.

4- Evite comprar a prazo e faça tudo para se livrar das dívidas

Tente ao máximo não fazer compras parceladas. Prefira sempre comprar à vista, pois, assim, você poderá barganhar descontos e não terá que pagar prestações nem juros. Evite também recorrer a operações de crédito, como empréstimos e cheque especial. Se o uso do cartão de crédito for inevitável, pesquise bem antes e esteja consciente dos juros cobrados e do Custo Efetivo Total (CET) da operação.

Se você possuir alguma dívida, se esforce para quitá-la o mais rápido possível. Não hesite em procurar o seu credor e negociar melhores condições para pagá-la assim que puder. E se estiver com o orçamento apertado, priorize o pagamento daquelas que possuírem juros mais altos.

5- Guarde uma reserva para emergências

É recomendável separar pelo menos 5% da sua renda mensal para formar uma espécie de “fundo de emergência”. Essa quantia será usada apenas para custear situações imprevistas e pequenas eventualidades que podem surgir a qualquer momento, como um problema de saúde ou um período de desemprego.

Isso garantirá mais tranquilidade e segurança para o seu bolso, pois você não terá que alterar seu planejamento financeiro se tiver que arcar com gastos não planejados de última hora. Um tratamento de dente não previsto ou até gastos com antibióticos para curar uma infecção repentina podem ser enquadrados na categoria das despesas de emergências.

6- Invista corretamente a sua poupança

Muitas vezes, apenas juntar dinheiro não é o bastante — para administrar sua poupança da melhor forma, você não pode deixá-la parada, perdendo valor. A saída, então, é investir essa quantia em alguma aplicação, para que ela renda e se multiplique com o tempo.